O que mais rolou em novembro?

Novembro foi um mês bem prolífico! Li bastante coisa já resenhada aqui no blog: terminei a leitura de Nós, iniciada em setembro, li O Feiticeiro de Terramar, O estrangeiro, Raízes da Intolerância e Harry Potter e a Criança amaldiçoada. Mas essas foram apenas as principais leituras. Li também uma HQ, um livro inteiro e três…

Raízes da Intolerância, de Ronaldo Manoel Silva.

Esse pequeno livro é o resultado de um estudo sobre o tratamento dispensado pela santa inquisição aos sodomitas no Brasil, do ano 1593 a 1595, em Pernambuco Colonial. Sodomitas, era este o termo usado pelo santo ofício para denominar os homossexuais, aqueles que praticavam o “pecado nefando”. Sinopse: Com o subtítulo “Inquisição e sodomitas em…

O Estrangeiro, de Albert Camus.

O que esse livro tem de pequeno, tem de intenso. Ele carrega uma série de inquietações filosóficas. Mas o que mais me chamou a atenção foi perceber que naquela época já se falava sobre temas que ainda se discute no meio acadêmico, sobretudo no Direito. Acho muito interessante quando uma obra, com uma intenção de…

O Feiticeiro de Terramar, de Ursula K. Le Guin.

Um menino órfão que, ao se revelar mago, é levado por alguém a uma escola de magia, dividida em casas, que possui um bosque proibido, um salão comum e de vez em quando promove uns eventos festivos. Lá ele encontra um mestre, aprimora seus poderes, faz amigos e inimigos e arranja um mascote. Devido a…

Nós, de Ievguêni Zamiátin.

Uma leitura daquelas de explodir os miolos. Mais uma distopia para meu currículo de leitor. E eu fiquei muito feliz.

Great Western Trail, jogo de tabuleiro, de Alexander Pfister.

Finalizando o especial sobre o boardgame designer do momento, o Alexander Pfister, trazemos hoje o mais recente de seus jogos, ao menos até o momento da publicação deste texto, pois vimos que o cara é uma máquina. Em Great Western Trail (A.K.A. GWT), que é um devorador de mesas, os jogadores assumem papel de vaqueiros…

Coleção Como Lidar, de J. A. Hazeley e J. P. Morris.

Finalizando o projeto relapsozinho-com-o-próprio-blog-da-Estrela, vou relatar minhas impressões sobre a leitura dos livrinhos politicamente incorretos da série Como Lidar, lançados pela Editora Intrínseca. São eles: Manual do usuário – A Esposa, Manual do Usuário – O Marido, O Hipster, Os encontros e A ressaca. Originalmente publicada na Inglaterra, a coleção, por lá, possui vários livros,…

(Porque abandonei) Death Note, de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata. (?)

Eis o meu relato sobre minha primeira leitura de mangás… ou pelo menos uma tentativa… Animes e mangás, diferentemente do @etiojunior que é obcecado, nunca foram meus passatempos favoritos, muito pelo contrário, quando era criança, eu sempre mudava de canal quando começava a passar um seriado ou desenho japonês na TV. Mas Deathnote me pareceu…

Eu sou a lenda, de Richard Matheson.

Finalmente li esse livro! Já havia um tempo que ele estava na minha estante e eu não o pegava para ler! Sinopse oficial da editora: O livro Eu sou a Lenda, do romancista norte-americano Richard Matheson, é uma das mais importantes obras do horror e da ficção científica, originalmente lançada em 1954 e deu origem…

O Amor nos Tempos de #Likes.

Continuando os livros lidos em Julho, falaremos sobre uma obra escrita por Booktubers, donos de canais no Youtube que falam sobre livros. Veja depois do pulo!