Trilogia 1Q84, de Haruki Murakami.

51YD+EiVWqL

Olá queridos nerds.

Hoje vou relatar minha primeira experiência de leitura de um autor japonês! Já havia lido outro livro de autor oriental, o “Mudança” de Mo Yan, chinês, mesmo autor de “As Rãs” e pude constatar que os autores de olhinhos puxados têm mesmo um jeito todo especial de contar suas histórias. Influências culturais talvez expliquem isso. Mas vamos ao assunto do post.

A obra da vez é a Trilogia 1Q84, de Haruki Murakami. São três volumes (trilogia dãããããããããa, mas Douglas Adams fez uma trilogia de 5 livros e ninguém reclamou…), mas não vou fazer uma resenha individualizada para cada livro e sim do conjunto da obra.

Sinopse:

1Q84 é o livro mais ambicioso de Haruki Murakami, fenômeno da literatura contemporânea. Escrita originalmente em três volumes, a obra esteve no topo das listas de mais vendidos no mundo inteiro e, só no Japão, ultrapassou a marca de 4 milhões de exemplares vendidos.
Tóquio, 1984. Aomame, uma mulher que esconde sua profissão de assassina, é enviada para matar um homem numa missão que mudará drasticamente sua vida. Em paralelo, Tengo, professor de matemática e aspirante a escritor, se envolve em um misterioso projeto de reescrever o romance Crisálida de ar, composto por uma menina de 17 anos. De forma alternada, as duas narrativas convergem, e aos poucos o leitor descobre o verdadeiro elo entre elas.
Conforme 1Q84 caminha para uma resolução, acompanhamos o incerto destino se fechar ao redor de Aomame e Tengo. Ao mesclar com maestria suspense, fantasia e amor, Murakami alcança nesta trilogia o ápice de sua criatividade literária.

1Q84 é uma obra eclética, difícil de encaixar em algum gênero. São duas histórias paralelas que caminham aos poucos para um ponto de convergência.

A história, que se passa no ano de 1984, começa com Aomame a caminho do lugar onde vai realizar a ação de matar um homem, mas durante o percurso o dial da vida dela é girado, mudando o canal ou a frequência de sua realidade e ela não percebe de imediato. Ela segue com seu intento, se achando linda e maravilhosa, como se nada tivesse acontecido.

Aomame é uma mulher livre e independente, totalmente resolvida e auto-suficiente, ex-testemunha de Jeová, professora de educação física e detentora de uma técnica especial de matar sem deixar vestígios. Porém é solitária.

Enquanto isso, Tengo, um simples professor de matemática que leva uma vida modesta, apesar de ter sido um garoto prodígio quando criança, filho de um cobrador da NHK, e que namora uma mulher casada e 10 anos mais velha, sonha em publicar seu próprio romance. E também é uma pessoa solitária.

A vida de uma pessoa pode ser essencialmente solitária, mas nunca isolada.

Tengo recebe uma ligação de seu amigo editor Komatsu com uma proposta tentadora, porém ordinária: a de ser ghost-writer e reescrever o livro Crisálida de Ar, escrito originalmente por Eriko Fukada, ou Fukaeri, uma menina de 17 anos cheia de mistérios e com um comprtamento peculiar. Mas eles não imaginavam as consequências desse ato porque, na realidade de 1Q84 (ou da Cidade dos Gatos), tudo está conectado.

Gradativamente os personagens vão saindo de uma realidade e percebendo que suas vidas estão tomando um rumo completamente incomum. Como se tivessem entrado numa realidade paralela, um mundo muito parecido com o que conhecemos, mas com algumas diferenças, como ter duas luas no céu. Aos poucos o leitor é levado para essa fantasia e passa a ter curiosidade sobre os próximos acontecimentos, sobre como as vidas de Tengo e Aomame se convergem e qual a relação entre eles. Esse é o grande trunfo da obra: deixar o leitor “fora da casinha”.

Outros aspectos bacanas são as cenas de pegação explícitas de sexo (o autor descreve tudo, tudo mesmo) e as referências pop que o autor utiliza para enriquecer a narrativa. Importante dizer que o sexo não é gratuito, ele faz todo o sentido para a história, diria até que é imprescindível, mas mesmo assim, sugiro a leitura para maiores de 16. Tem alusão a 1984, de George Orwell (aqui meio que uma antinomia entre o grande irmão e o povo pequenino); a Sinfonietta, de Leoš Janáček, que é sensacional de ouvir durante a leitura; a Tchekov, escritor russo autor de A Ilha de Sacalina; aos cantores Ella Fitzgerald, Nat King Cole; dentre outras.

A maioria das pessoas não quer acreditar na verdade, e sim no que elas desejam que seja a verdade.

Mas tem problemas.

A narrava é muito lenta, algumas passagens chegam a ser repetitivas, alguns personagens poderiam ter uma abordagem mais breve e o autor poderia ter economizado nos fillers (nosso famoso encher linguiça). E algumas questões ficam sem resposta ao fim da trilogia.

A meu ver, a história principal, com as breves passagens necessárias para entendermos os personagens, poderiam dar um livro de 500 páginas. O restante poderia ser abordado em spin-offs para quem quisesse ler sobre a vida e conflitos pessoais de cada um dos personagens principais ou secundários, muitos fatos não acrescentam muita coisa na dinâmica da narrativa. A história do Grupo Sakigake, por exemplo, daria um ótimo spin-off.

O primeiro livro basicamente apresenta os personagens e delineia os fatos principais: a relação que é estabelecida entre Tengo e Fukaeri, por intermédio de Komatsu; as atividades profissionais pouco ortodoxas de Aomame e sua amizade com a policial Ayumi; e a velha senhora dona do abrigo para mulheres que sofrem violência doméstica. Ao fim do primeiro volume, todas as questões ficam pendentes de respostas. O ritmo é lento, o que me fez pensar em abandonar, mas a curiosidade foi maior e resolvi passar para o segundo volume.

O segundo livro tem um ritmo completamente diferente. Cada capítulo traz uma resposta ao que ficou em aberto no primeiro, mas não responde tudo e cria outros mistérios. Mas é bem mais agradável de ler, tanto é que nem parece que foi o mesmo cara que escreveu. Não me arrependi de ter continuado e fiquei motivado a passar para o terceiro volume.

Ah, querido nerd.. Se eu te disser que o último livro só fica bom lá pela metade… O terceiro é sem dúvidas o que mais enrola, mais repete fatos desnecessariamente, mais perde tempo com eventos secundários ou terciários ou quaternários com pouca influência na história principal. Além disso surge mais um personagem, o Ushikawa, que está a serviço de uma organização religiosa e passa a perseguir Tengo e Aomame. Lá pelo 18º ou 20º capítulo que a história começa a ganhar um ritmo bom.

Enfim, não desgostei da obra. A história principal é bem legal. Acho que o maior problema mesmo é o ritmo lento demais e questões que ficam em aberto (que fim levaram a namorada mais velha de Tengo e Fukaeri? O que aconteceu com Sakigake?). Quanto ao final, eu curti, apesar de um pouco previsível, embora tenha notado um esforço do autor em distrair a mente do leitor ao longo do último volume.

Não se deixe enganar pelas aparências. A realidade é sempre única.

Sobre o autor:

Haruki Murakami nasceu em Kyoto, no Japão, em janeiro de 1949. Cresceu em Kobe e se graduou na Universidade Waseda, em Tóquio. Viveu por quatro anos nos Estados Unidos, onde deu aulas em Princeton, e regressou ao país natal em 1995. É considerado um dos autores mais importantes da atual literatura japonesa. Sua obra foi traduzida para mais de quarenta idiomas e recebeu importantes prêmios, como o Yomiuri — que já foi concedido a autores como Yukio Mishima, Kenzaburo Oe e Kobo Abe — e o Franz Kafka Prize. O escritor vive atualmente nas proximidades de Tóquio. Outras obras do autor: relato Do que eu falo quando eu falo de corrida e os romances Minha querida Sputnik, Norwegian Wood, Kafka à beira-mar e Após o anoitecer.

Dica do tio: esteja com o espírito preparado ou treine sua leitura dinâmica para superar sem traumas os fillers. A história é boa, mas é preciso paciência.

Nota: Eu resolvi não colocar mais nota em minhas avaliações porque a leitura é algo pessoal. Prefiro dizer que gostei, mas não amei, mas você pode amar. Recomendo a leitura? Amigo leitor nerd, recomendo a leitura até de bula de remédio, desde que se aprenda alguma coisa. #prontofalei.

Adquirido em: 02/03/2016.

Lido de 13/06 a 29/06/2016.

Formato: e-book.

Plataforma: meu querido Kindle.

Quanto paguei: R$3,98 pela trilogia num dia em que a Amazon ficou doida.

Editora/Selo: Alfaguara

Livros relacionados: 1984, de George Orwell.

Anúncios

Sobre adsonamt

Advogado, servidor público, leitor inveterado, decidi criar esse blog para curtir um período sabático escrevendo sobre o que gosto de fazer. Minhas paixões: livros, chás, gatos, comida boa, música, board games e seriados (não necessariamente nesta ordem, depende da vibe do momento).

13 pensamentos sobre “Trilogia 1Q84, de Haruki Murakami.

  1. Essa trilogia nunca me chamou atenção sendo bem sincero, de l longe lembrou Léxico de Max Barry (standalone) e me confundi mesmo com o “resumo” da obra. Uma coisa que me irrita MUITO é quando o autor enche lingüiça, embora ame a série Adams fez isso em Praticamente Inofensiva (pior livro da trilogia de 5).

    Mas por 4 reais talvez eu repensasse kkkkkkkkkkkkk maldito consumismo!

    Abs

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá Amanto, J. J. Benitez também enche muita linguiça e é a melhor série que já li. Acho que depende muito de como o cara enche linguiça. Murakami às vezes é repetitivo, e dá a impressão de que muitos dos fillers não tem outra finalidade a não ser fazer volume. Mas como eu disse, a história não é ruim. Se você souber uma técnica de pular parágrafos ou de leitura dinâmica vale a leitura sim.
      Continua nos acompanhando! Um abraço.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Tenho muuuita curiosidade de ler esse autor!! Estou em dúvida sobre qual começar… Ah, achei legal vc não dar mais nota, concordo com o que você falou, também não faço isso, é tão pessoal, né? Sem contar que eu posso não ter entendido a obra, ou estar em um momento não propício!
    Bjs

    Curtido por 1 pessoa

  3. Pingback: Leituras de Junho + incremento da meta anual. | Guloseimas Nerds

  4. Pingback: [Pura sedução] + [Maratona 💀]: Menina Má, de William March. | Guloseimas Nerds

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s