Os Filhos do Éden – a Trilogia, de Eduardo Spohr

81SN60KK8TL

Após os comentários sobre meu livro preferido (pelo menos até a atualidade), “A Batalha do Apocalipse” (clique aqui para ver), chegou a hora de trabalhar um pouco a dialética com “Os Filhos do Éden”, do brasileiro Eduardo Spohr.

Dividido em três volumes que são: “Os Filhos do Éden – Herdeiros de Atlântida”; “Os Filhos do Éden – Anjos da Morte” e “Os Filhos do Éden – Paraíso Perdido”, todos retratam acontecimentos anteriores à épica guerra do Armagedom relatada em “A Batalha do Apocalipse”. Confesso que quando iniciei essa saga imaginei que se tratava de uma estória (é isso mesmo produção?) isolada, e que não teria relação direta com a vida e amarguras do anjo Ablon – protagonista da obra primogênita.

Acontece que isso é apenas meia verdade! Além de trazer uma trama e personagens novos, a trilogia pontua eventos que se não influenciam o livro original diretamente, o fazem comendo pelas bordas.

Vou falar um pouco sobre cada um deles e, claro, tentando não dar spoiler. Acompanha com o Tio no replay…

herdeirosOs Filhos do Éden – Herdeiros de Atlântida

A par de apresentar localidades das mais diversas ao redor do mundo, com maestria de detalhes históricos e descritivos, Dudu (desculpa a intimidade Spohr 😛) adora ambientar parte de suas tramas em território tupiniquim. E no primeiro livro da trilogia não é diferente.
Apresentando aquela que passa a ser a nova personagem principal, Kaira – A centelha divina (cada anjo possui uma alcunha ou título que o precede dentro das castas angelicais) é um anjo que perdeu a memória e está vivendo entre os mortais como uma humana normal.
Sabendo disso, uma dupla de anjos é enviada até a Haled (Terra) para resgatá-la e trazê-la novamente para a linha de frente das batalhas celestiais disseminadas pelos Arcanjos.
Mostrando uma clara evolução na escrita e na narrativa, esse primeiro livro gira em torno do resgate e da tentativa de Kaira de recuperar suas memórias e poderes perdidos.
Não vou me delongar nele pois o li em meados de 2012 e não me recordo de muita coisa. Mas é um belo start na “nova saga”.

morteOs Filhos do Éden – Anjos da Morte

Confesso que tive que ler este livro uma vez e meia!😵
Nunca fui daqueles maiores entusiastas por livros em geral, então, em meados de 2014 comecei a leitura mas a interrompi por motivos que ainda me são desconhecidos… (provavelmente foi algum dos meus video games que me distraiu…😋).
Mas em dezembro de 2014 eu tentei retomá-lo de onde havia parado, porém não foi possível. Os livros de Spohr são muito densos. As personagens, a trama, é tudo tão carregado de informações que exige de você uma certa dedicação. Então, comecei do começo (pleonasmo, eu sei😁) e em menos de um mês estava terminado.
Este segundo volume tem um enfoque mais evidente no querubim Denyel, que me parece ser o segundo personagem principal da saga “Os filhos do Éden”. Sua amargurada vida entre os humanos tem início quando ele é enviado por seus superiores para se infiltrar nas mais diversas guerras humanas a fim de recolher informações variadas, além de ser obrigado a assassinar uma série de outros anjos “rebelados” contra sua própria vontade. Ele faz parte de uma trupe denominada “Anjos da morte” (sacou o nome do livro?).
Nesse volume eu percebo uma série de semelhanças entre Denyel e Ablon (não preciso mais explicar quem é o Ablon né, faz favor😒). Ambos possuem personalidades semelhantes, são muito fortes, sábios, amargurados com suas tarefas e desconfiam sempre dos anjos de maior “patente”. Contudo, Denyel é mais safadinho e adora uma sacanagem!!!😋
Neste título, Kaira, que já está quase plenamente recuperada, aventura-se pelos mais diversos lugares e planos em busca de Denyel, seu mais “querido companheiro” querubim (percebam a entonação 😏). Apenas pelo bem da missão.
Aqui também é apresentada a verdadeira missão da equipe de Kaira, a busca pelo Primeiro De Todos os Anjos!

paraisoOs Filhos do Éden – Paraíso Perdido

Como conclusão da série (e uma narrativa explicitamente mais madura por parte de Eduardo), este que me é considerado o melhor dos três livros, a busca pelo primeiro anjo é intensificada.
O coro de Kaira (coro é uma equipe composta por três ou mais anjos que, no caso dela, traz uma cacofonia atípica 🤔) se vê forçado a travar uma batalha épica pelos reinos de Odin!!!! Isso mesmo que você leu! Mitologia nórdica das boas! (Tirando pelos nomes extremamente difíceis de serem lidos…)
Neste último volume, Ablon já aparece em toda a trama, mostrando um querubim bem diferente de “A Batalha do Apocalipse”. Submisso aos deveres da casta e atento à missão designada por seu maior líder, Miguel.
Em um jogo de passado e presente, dois coros de anjos (o de Kaira e o de Ablo) expõem suas virtudes, falhas e dúvidas em busca de efetivarem suas missões.
Do meio pro final, muitos acontecimentos remetem à fatos de “A Batalha do Apocalipse”, o que te dá uma puta vontade de pegar o primeiro livro e sair lendo tudo de novo… (Que foi o que me aconteceu😂)…

Enfim…

O último livro da quadrilogia é o mais intenso e cheio de revelações. Faz você compreender melhor porque Ablon se transformou numa lenda entre as legiões celestiais e o anjo mais temido entre a trupe dos Imponentes Arcanjos. Expõe o lado mortal dos anjos que se permitem, a cada passo, viver como humanos.
E te dá algumas pequenas lições de moral que, se não são intencionais e tão explícitas, te fazem pensar que todos somos passíveis de falhas, inclusive os seres que deveriam ser os mais infalíveis de toda a criação…

Vou encerrar por aqui antes que me de vontade de começar a quadrilogia novamente…kkkkk

Dica do Junior: Para quem não conhece a série, eu penso que iniciar a leitura pela trilogia “Os filhos do Éden” não é a melhor pedida. Deixa de preguiça, e leia na ordem em que foram lançados!!! Garanto que vai ser muito melhor.☺️

Nota: 4,5/5,0 (Recomendado)

Adquiridos em: “Herdeiros de Atlântida” – meados de 2012;”Anjos da morte” – meados de 2014 e “Paraíso Perdido” – segundo semestre de 2015.

Lidos entre 2012 e 2015.

Formato: “Herdeiros de Atlântida” em ebook e os demais em livro físico.

Plataforma: minhas mãos e pelo iPad (na época eu ainda não tinha kindle).

Quanto paguei: Alguma coisa entre R$25 e R$40 em cada um.

Livros relacionados: Os filhos do Éden – Herdeiros de Atlântida (Eduardo Spohr); Os filhos do Éden – Anjos da Morte (Eduardo Spohr); Os filhos do Éden – Paraíso Perdido (Eduardo Spohr); A torre das almas (Eduardo Spohr); A batalha do apocalipse (Eduardo Spohr)

Anúncios

Um comentário em “Os Filhos do Éden – a Trilogia, de Eduardo Spohr

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s